Circuito História, Cultura e Arte Sacra: o centro histórico de Curitiba

O quarteirão circundado pelas ruas Dr. Claudino dos Santos, Rua do Rosário e Travessa Nestor de Castro, no centro de Curitiba, reúne um conjunto de atrativos e de espaços históricos e culturais que sintetiza uma pequena amostra da beleza da cidade.

Bem ali está o Memorial de Curitiba, um dos centros culturais pulsantes da cidade. O espaço é lindo: uma construção moderna, com laterais e cobertura de vidro. Independentemente de como escolher aproveitar o ambiente, não deixe de contemplar a vista que o Mirante do Marumbi fornece do centro da cidade. A poucos passos dali está o Museu de Arte Sacra da Arquidiocese de Curitiba. Se no Memorial de Curitiba você pôde apreciar os retábulos da Igreja matriz de cidade talhados em madeira policromada do século XVIII, a coleção exposta aqui reúne imagens sacras, objetos de culto e litúrgicos, peças de mobiliário e pinturas. O núcleo original do acervo é proveniente de quatro Igrejas localizadas no centro histórico da cidade: a Catedral de Curitiba, a Igreja do Rosário, as ruínas de São Francisco de Paula e a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas, que passou a abrigar o Museu de Arte Sacra desde 1981. Feche o roteiro com uma caminhada até o Museu Paranaense, guardião de um amplo acervo histórico, antropológico e arqueológico no qual a história do Paraná está muito bem representada. Exposições permanentes ou de longa duração – como Imagens de um Lar: mobília e objetos do cotidiano de uma família abastada em Curitiba, Moedas Romanas: coleção acervo do Museu Paranaense e Dinheiro e Honraria: o acervo de numismática do Museu Paranaense – disponibilizam o acervo do museu aos visitantes.

O Museu Paranaense fica apenas a cerca de 500 metros do Memorial de Curitiba, e a região é bem servida por linhas de ônibus.

Ainda não é hora de descansar pois o passeio não acabou por aqui. O dia promete!!!

Três motivos para fazer o circuito:

  1. O projeto arquitetônico do Memorial de Curitiba, criado pelos arquitetos Fernando Popp e Valéria Bechara, faz diversas referências às memórias e símbolos da cidade. Dentre elas, o formato do pinheiro paranaense inspira a estrutura base da construção, um eixo central de onde saem as vigas metálicas, três pisos e uma ampla praça coberta que recebe concertos e eventos.
  2. A Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas – que abriga o Museu de Arte Sacra – é a Igreja mais antiga de Curitiba. Sua construção foi concluída em 1738 e já passou por alguns trabalhos de restauração. A animadíssima Feira do Largo da Ordem acontece todos os domingos, bem ali, no Largo da Ordem (cujo nome oficial é Largo Coronel Enéas), das 9h00 às 14h00.
  3. A curta caminhada até o Museu Paranaense tem tudo para ser agradável. Há muito para se conhecer: o centro cultural Solar do Rosário, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos de São Benedito (ou simplesmente Igreja do Rosário), o Relógio das Flores – ambos situados na Praça Garibaldi – , e as Ruínas de São Francisco, uma das quatro Igrejas cujos objetos integraram o núcleo original do acervo do Museu de Arte Sacra. Pronto! Você nem percebeu mas acabou de chegar ao Museu Paranaense. Boa visita!