Mulheres Radicais: arte latino-americana, 1960-1985

de 20/08/2018
até 19/11/2018
de quarta a segunda, das 10h00 às 17h30

Entre os dias 18 de agosto até 19 de novembro, é possivel ver no primeiro andar da Pinacoteca de São Paulo uma grande exposição que procura mapear "as práticas artísticas experimentais realizadas por artistas latinas e a sua influência na produção internacional". Com a curadoria da venezuelana Cecilia Fajardo-Hill e da pesquisadora ítalo-argentina Andrea Giunta, a mostra traz obras de cerca de 120 artistas de quinze diferentes países.

Popsicles (1982-1984), da chilena Gloria Camiruaga

 

A proposta da exposição é "dar visibilidade à surpreendente produção, realizada entre 1960 e 1985, dessas mulheres residentes em países da América Latina, além de latinas e chicanas nascidas nos Estados Unidos". Uma leitura da reação artística destas mulheres ao contexto marcado pelo patriarcalismo e pelas violências das ditaduras militares. Segundo Fajardo-Hill, “as vidas e as obras dessas artistas estão imbricadas com as experiências da ditadura, do aprisionamento, do exílio, tortura, violência, censura e repressão, mas também com a emergência de uma nova sensibilidade”.

 

Veja o vídeo que a Pinacoteca publicou no youtube com uma conversa com as curadoras.

A exposição foi organizada pelo Hammer Museum, Los Angeles, como parte da Pacific Standard Time: LA/LA, uma iniciativa da Getty em parceria com outras instituições do Sul da Califórnia 

 

temas relacionados